O mobiliário sólido residual existe na contramão do mobiliário urbano tradicional. Nas esquinas vemos peças compostas por restos, resíduos de um sistema industrial em que os produtos são acessíveis a alguns nas lojas e, a outros, no lixo.

A natureza desses artefatos também reflete a (des)ordem social.